Consistência

Há quem diga que a vida é a constante e os caminhos são as variáveis. Mas como descobrir as variáveis de uma conta que não fecha?

Nunca saberemos o resultado de uma equação se não tentarmos as variáveis possíveis. Falando assim, parece ser muito fácil escolher um caminho e trilhá-lo. Mas a vida, essa filha de rapariga, não é simples.

Todos os caminhos possuem percalços e, se você não tiver a consistência suficiente para enfrentá-los, irá diluir cada vez que tropeçar. E nós tropeçamos. Não uma, não duas, nem três.

Fugir do clichê é necessário, dizer que a vida é uma caixinha de surpresas chega a ser patético de tão óbvio. Não saber o dia de amanhã é um dos piores sentimentos que podemos ter e este vai nos matando por dentro. Lentamente.

Mas e se…

E se soubéssemos.

Se soubéssemos, na noite anterior, que no final da tarde bateríamos o carro? Provavelmente iríamos para o trabalho de metrô naquele dia. Mas você já pensou que bater o carro pode ser apenas um gatilho para desencadear outras mil ações?

É aí que eu quero chegar. Eu aprendi que a vida não se trata de ter certeza das coisas. É preciso administrar o constante medo do amanhã. É ter convicção de que nada pode dar errado e, se der, eu tenho que continuar perseguindo o meu objetivo.

Nós passamos muito tempo pensando em como seriam as coisas se fossem feitas de tal forma. Planejamento é necessário, eu sei, mas as coisas precisam sair do papel. É necessário que haja mais ação.

Certa vez um professor, em sua primeira aula, perguntou:

– Onde vocês se imaginam em cinco anos?

Ninguém da turma soube responder. Por quê? Porque todos tinham medo do amanhã.

É esse medo que deve ser controlado.

Mas como? Permitindo-se errar.

Como eu escrevi no início do texto, nunca saberemos o resultado dessa conta se não tentarmos as variáveis possíveis. Se não for uma, será a outra. Se não for por este caminho, eu vou por outro.

A vida admite esse erro, desde que você tenha um objetivo. Se em cinco anos a sua meta é ser tal coisa, trabalhe para que este objetivo seja atingido. Aos trancos e barrancos, já diria a minha avó, nós chegamos lá. Não importa se o caminho foi o certo da primeira ou da segunda vez.

Mas fique atento, pois se não se der conta disso logo, pode acabar com um sentimento muito pior do que a incerteza…

O arrependimento.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s